MPF vai pedir perícia de recibos de aluguel entregues por Lula

Posted Setiembre 29, 2017

A pedido do advogado e compadre de Lula Roberto Teixeira, os documentos foram assinados pelo empresário quando ele estava internado no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, em novembro daquele ano, segundo informa o jornal O Globo. Os advogados pretendem, com isso, provar que os documentos foram confeccionados pela defesa de Lula.

A obstrução de Justiça é um dos motivos que justificam pedidos de prisão preventiva.

"A tentativa de transformar os recibos no foco principal da ação é uma clara demonstração de que nem o Ministério Público nem o juízo encontraram qualquer materialidade para sustentar as descabidas acusações formuladas contra Lula em relação aos contratos da Petrobras", diz a nota.

4- Em nenhum outro documento encaminhado pelo Sr.


Ao ser interrogado por Moro, Lula disse que tentariam localizar os recibos de pagamento.

Os recibos com datas errôneas estão datados, de 31 de junho e 31 de novembro no valor de R$ 3.660 mil a R$ 4300 mil respectivamente. Em vez de São Bernardo, aparece "São Bernanrdo".

5- O que causa estranheza é que todas as provas requeridas pela Defesa para demonstrar que não existe qualquer valor proveniente da Petrobras envolvido no caso tenham sido indeferidas, inclusive por meio de decisão proferida ontem.

Os dados têm como objetivo contestar os recibos entregues pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e, que na versão do petista, comprovariam o pagamento de aluguéis do apartamento 121 do edifício Hill House, em São Bernardo do Campo (SP), investigado na Operação Lava Jato. Desde que assumiu a Presidência da República, o petista alugava o local para abrigar seus seguranças.


Em depoimento ao juiz Sergio Moro, no último dia 13, Glaucos da Costamarques admitiu ter declarado os valores dos pagamentos à Receita Federal, apesar de, segundo ele, "não ter visto a cor do dinheiro até novembro de 2015". "A defesa do ex-presidente Lula tem absoluta tranquilidade de que os documentos guardados por D. Marisa [Letícia, mulher de Lula] revelam a expressão da verdade dos fatos". O que a Lava-Jato revelou é que, no fim de 2010, o apartamento foi comprado por Glaucos da Costamarques, primo do pecuarista José Carlos Bumlai, amigo do ex-presidente.

Foi o juiz Moro [VIDEO] que recomendou a Lula que esses comprovantes deveriam ser anexados ao processo.

Denunciado em dezembro de 2016 à Justiça Federal por ter recebido vantagens da Odebrecht - entre elas a cobertura comprada em nome de Costamarques - Lula levou cerca de nove meses para apresentar comprovantes de pagamento de aluguel. Em nota, os advogados disseram apenas que, pela lei, bastaria ser apresentado o último recibo de pagamento a Costamarques com reconhecimento de quitação, "sem ressalva de débitos anteriores", para que todos os pagamentos fossem considerados realizados, de acordo com o Código Civil. Mas não identificado. Eu acho que eles depositavam naqueles envelopes e aquele envelope tem um limite pra depósito.